Slide42.JPG
Think Global Link.jpg

 

Construir uma marca não é uma tarefa fácil, principalmente quando estamos pensando num ambiente internacional. Existem, porém, alguns pontos a se pensar que podem ser bastante úteis no processo de criação de uma marca global.

 

 Aí vão cinco dicas de um Global Coaching para você construir sua marca:

 

1. A Marca deve traduzir a alma do negócio -  Antes de desenvolver a marca, é importante você pensar no negócio e refletir sobre algumas questões. Em que segmento atua? Qual o nicho que pretende atuar? Qual imagem quer passar? Que cores, formas, cheiros sentimentos a que esta marca deve ser associada? É importante pensar num conceito de de Branding - toda uma coleção de ideias que estarão vinculadas à marca. 

 

2. Entenda os costumes dos clientes – Também é importante pensar em como a “alma” da marca irá se relacionar com o público alvo e avaliar sua possível aceitação. Este exercício pode ser um pouco mais trabalhoso quando estamos pensando num mercado global. Talvez seja importante focar em alguns mercados alvo primeiramente. Outra opção é analisar os mercados que mais compram o produto ou serviço que vou oferecer, levando-se em consideração o nicho em que vai atuar.

 

3. Entenda como as demais marcas do segmento se apresentam – “Yes! Google it!” Parece um jargão básico e até simples demais. Indo até o Google Images, ou ferramenta equivalente, você pode digitar “marcas” no segmento em que você atua ou deseja atuar. Lá você poderá observar como elas se apresentam. Atente para as fontes, as cores, se existem logos muito diferentes, se ilustrações se sobrepõem às letras no grau de importância ou o contrário. Observe os traços comuns à maior parte das marcas. Muitas delas exigiram grandes investimentos para seu desenvolvimento, mas não caia na tentação de copiar ou imitar uma marca. Siga apenas as linhas mestres comuns à maioria e use a personalidade que traduz o seu negócio diferenciando-o dos demais.

 

4. Atente para os significados – Usando a lógica da semiótica, que estuda os símbolos, as marcas são significantes e vão veicular ao seu público alvo, significados que podem ser poderosíssimos para o que você pretende como estratégia de marketing. Quando pensamos em mercados globais, além dos atributos da marca, temos de levar em consideração algo simples: a semântica e a pronúncia da palavra que irá definir a marca nos idiomas dos mercados alvo. Prefira termos simples com poucas sílabas e poucos encontros consonantais. Evite também sons típicos da língua portuguesa de difícil pronúncia em outros idiomas. Exemplos: moranguinho, carrão, anhanguera (este é tupi...). Busque saber o que significa ou o que lembra a marca nos seus mercados alvo ou nas principais línguas do globo. Seria inadequado usar uma palavra que pode ter significado pejorativo no idioma do seu público-alvo. Caso você não tenha mercados alvo específicos, teste com as línguas oficiais das nações unidas: Inglês, Espanhol, Francês, Russo, Chinês e Árabe. Não é garantia de não existirem gafes em outros idiomas, mas já tira grande parte de possíveis problemas da frente.    

 

5. Faça a manutenção – Marca é algo vivo, tão vivo quanto as pessoas que estão sempre atentas aos movimentos do mercado, à moda e àquilo que as fazem se sentirem incluídas em um grupo. O ideal é que sua marca tenha este papel. É importante ter uma boa estratégia de comunicação levando-se em consideração a cultura local do seu mercado alvo. O que faz o coração de seu público alvo bater hoje? E amanhã? De preferência esteja nos meios de comunicação e tenha formadores de opinião falando bem de sua marca, seus produtos e serviços.